Common Core: Uma proposta de currículo para os Estado Unidos da América

common
O Common Core State Standards Initiative é um documento que começou a ser redigido em 2009, quando a Associação Nacional de Governadores e o Conselho de Chefes de Estado Oficiais de Escolas tiveram a iniciativa de escrever padrões curriculares nas áreas de língua inglesa (iniciando-se da alfabetização) e ensino da matemática.

Anunciado em 1 de junho de 2009, o propósito declarado da iniciativa era o de proporcionar uma compreensão clara e consistente do que os alunos deveriam aprender, para que os professores e os pais soubessem o que poderiam fazer para auxiliar suas crianças. Além disso, segundo a iniciativa, os padrões foram projetados para serem relevantes para o mundo real, refletindo o conhecimento e as habilidades que os jovens precisam para o sucesso na faculdade e na carreira.
O documento trás um corpo de conhecimento robusto e amplamente descritivo, reunindo para cada uma das disciplinas uma equipe colaborativa de professores, pesquisadores e principais especialistas das áreas.
A importância do currículo está em alinhar as normas propostas com com as expectativas de faculdades, programas de treinamento de trabalhadores, e os empregadores. Ao contrário de normas estaduais anteriores, que variavam muito de estado para estado, o Common Core permite a colaboração entre os Estados em uma gama de ferramentas e políticas, incluindo:

1. Desenvolvimento de livros didáticos, mídias digitais e outros materiais de ensino.
2. Desenvolvimento e implementação de sistemas de avaliação abrangentes comuns que substituem os sistemas de teste estatais existentes, a fim de medir o desempenho dos alunos por ano e fornecer aos professores um feedback específico para ajudar a garantir que os alunos estão aprendendo
3. Desenvolvimento de ferramentas e outros apoios para ajudar educadores e escolas garantir que todos os alunos são capazes de aprender

Divididos por séries, os padrões curriculares são um conjunto de objetivos claros e comuns as crianças que trazem expectativas de aprendizado e habilidades relacionadas que os alunos precisam aprender tanto na língua inglesa quanto em matemática. Os padrões curriculares estabelecem o que os alunos precisam aprender, mas não ditam como os professores deveriam ensinar. Dessa forma, educadores podem elaborar os seus próprios planos de aula e adaptar sua instrução às necessidades individuais dos alunos em suas salas de aula.

www.corestandards.org/