Déficit de atenção e aprendizagem

foto 3

O déficit de atenção ou déficit de atenção com hiperatividade é um distúrbio que acarreta comportamentos de desatenção, inquietude e impulsividade. Os indivíduos com déficit de atenção com hiperatividade podem encontrar problemas em casa, no contexto educacional e no trabalho.

As pesquisas e observações sobre o TDAH (Transtorno de déficit de atenção com hiperatividade) remontam a cientistas dos séculos 18 e 19, como Alexandre Crichton e George Still que publicaram estudos sobre o assunto em 1789 e 1908, respectivamente. Suas descrições são semelhantes às descrições atuais sobre o distúrbio.

Atualmente, os diagnósticos de TDAH são feitos como outros diagnósticos de medicina. O transtorno faz parte dos diagnósticos da Classificação Internacional das Doenças na sua última versão (CID-10) e nas anteriores (CID-8 e CID-9).

No Brasil, estima-se que 924 732 indivíduos têm TDAH. No entanto, segundo dados fornecidos pela IMS/Health Care Measurement, menos de 200 000 pacientes estiveram sob tratamento em 2010 (MATTOS, ROHDE, POLANCKY, 2012). Assim, o alarme de tratamento excessivo em casos de TDAH no país não possui embasamento científico.

Em estudo recente da Revista de Psiquiatria Clínica, Coutinho et al. (2009) observam a divergência entre relatos de pais e de professores sobre TDAH numa amostra de caso no Brasil. Os teóricos seguem o DSM-IV, no qual se afirma que o diagnóstico para TDAH deve ser apoiado na observação de sintomas em mais de um ambiente: como o familiar e o escolar, por exemplo. Os pesquisadores concluem que professores tendem a observar desatenção e pais, a hiperatividade. Reafirmam, aliás, com base em demais estudos, que existe pouca preparação dos professores quanto à sintomatologia de TDAH.

A formação dos profissionais de educação deveria ser cada vez mais aprimorada, nesse sentido. Em parte porque professores atuam um papel relevante para a obtenção de um diagnóstico, e em parte porque estratégias de ensino diferenciadas para os indivíduos com TDAH pode ter impactos muito produtivos.

Na aprendizagem, indivíduos com déficit de atenção precisam de orientações específicas e de reforços positivos para superarem os obstáculos encontrados. Assim, exercícios de atenção sustentada e tabelas organizacionais são muito relevantes para o incentivo da aprendizagem desses alunos.

Algumas técnicas para os educadores, ao ensinarem indivíduos com TDAH são, por exemplo:

– trabalhar com exercícios de atenção sustentada;
– observar assento do aluno e tarefas que o distraiam para que esses sejam modificados e evitados;
– dar instruções antes do início da tarefa e verificar se o aluno as compreende, pedindo seu feedback;
– apoiar constantemente o aluno;
– dar feedback positivo, logo após a realização de tarefas, para oferecer reforço positivo;
– trabalhar com materiais estimulantes para que eles prendam a atenção dos alunos e ofereça      oportunidades para o engajamento escolar;
– trabalhar com gravações, atividades orais, dinâmicas, marcadores, post-its, entre outros recursos;
– não criticar negativamente, pois alunos com TDAH precisam de apoio;
– estabelecer intervalos entre as atividades;
– esperar pelo tempo dos alunos;
– permitir movimentação e deslocamento, durante as atividades escolares;

A Casa Cuca trabalha com ferramentas importadas de nossos parceiros e com ferramentas personalizadas que auxiliam nos processos de ensino-aprendizagem de indivíduos com TDAH, sejam crianças ou adultos.

No caso de softwares, temos a família Fast ForWord, constituída por jogos que enfocam o trabalho com atenção, memória, sequenciamento e processamento.

Para formar leitores fluentes e atentos, oferecemos intervenção por meio do Reading Assistant, software no qual o texto pode ser ouvido e visualizado com diversas marcações, além de ser organizado por passos de leitura. Nele, é possível também gravar a própria leitura, o que estimula a pró-atividade do aluno e a realização da tarefa.

Nossas ferramentas personalizadas – o como ampulhetas e ZAP! – ajudam profissionais, famílias e alunos a trabalharem com organização e atenção sustentada por meio de materiais que estimulam o engajamento dos alunos nas atividades acadêmicas.